quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

Quanto ao amanhã, o que será?

A vida sempre repleta de fortes emoções, vem narrando de forma consecutiva mais um desastre, sim, pessoas que vão embora, sem ao menos dizer adeus. A morte, com certeza é uma das dores mais intensas que o homem pode sentir, o luto pode extravasar o entendimento, fazendo com que a razão fique de lado. Não dá para acreditar no que ando presenciando, o início de 2009 pode-se dizer, que no mínimo está sendo marcante. Aos amigos e conhecidos que perderam suas vidas, seja através de um enfarto, câncer, acidente automobilístico ou até mesmo assassinato, meus sinceros sentimentos. Com a partida de cada um deles, consegui refletir muito, acreditando cada vez mais, que isso aqui que vivemos não é brincadeira, nunca foi...eu realmente ando impressionado e angustiado com todas as mortes de janeiro para cá, e não sei onde isso vai parar. Seja por motivos de saúde ou qualquer tipo de violência, o luto está sendo constante inspiração para reflexões indesejadas, mas necessárias.
Ao menos, não sei se a metade que se foi, estará realmente desfrutando o descanso eterno, num lugar melhor do que esta em que vivemos. E este é um dos motivos da minha angústia, pois não sei se estou desempenhando meu papel da melhor maneira possível, afinal, devo me questionar como tenho colaborado por um mundo melhor. Estou cansado de chegar aqui e dizer que podemos mudar o jogo, ou criticar o sistema. As pessoas estão morrendo ao meu redor, e eu continuo de mãos atadas, sofrendo calado pelos cantos, sentindo a dor e a frustração daqueles que ficaram, simplesmente eu não posso mais negligenciar a vida. Preciso caminhar rumo ao alvo, e tentar transformar o ambiente e o meio em que vivo.
Por não ter a certeza do que está reservado para o amanhã, clamo ao Senhor Todo-Poderoso, que tenha misericórdia, perdoando os meus pecados e me motivando a ser um cara melhor. Tenho plena convicção que independente das diferenças religiosas e filosóficas que tantam dividem a sociedade, jamais o amor será insuficiente para nos unir e nos manter vivos. A lei, o poder e nada mais, conseguirão substituir a presença de Deus, tanto nas nossas vidas, quando no mundo em que vivemos. Não quero acreditar que o sacríficio tenha sido em vão...!!!
Obrigado Jesus, por me manter vivo...

Um comentário:

Andréia disse...

lidar com a morte é um verdadeiro chaqualhão, talvez por ser um caso extremo e sem volta que nenhum de nós está isento que passar idenpendente de raça, classe social ou crença é a única certaza do nosso rumo. comer terra e votlar a ser barro.

sim temos muita sorte por ainda estarmos vivos e AINDA termos a chance de mudar e fazer a nossa estadia nesse planeta ter valido a pena ms no fim parece que agente roda roda e volta para o canto apra sofrer calados. Temso que mergulhar de cabeça nesse amor e não querer olhar para os lados nunca mais.

beijos!!!