quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Acordo ortográfico mais perto do que nunca.

O que não é novidade para muitos que frequentam aqui (este blog publicou em setembro de 2008 uma matéria na íntegra). O Acordo Ortográfico entre os países de língua portuguesa está cada vez mais próximo de valer 100%. Desde que foi aprovado em 2008, o acordo no Brasil estabeleceu um prazo até o fim de 2012, para que todos se adequem à nova ortografia em âmbito oficial.

As mudanças não são drásticas, porém, possuem suas sutilezas e podem levar um pouco de confusão em seu entendimento e função.

O Acordo por ser meramente ortográfico não terá influência na pronúncia das palavras. Então, por exemplo: sequestro, linguiça, e cinquenta, continuam com a mesma pronúncia mesmo com a eliminação do trema. Aliás, o trema, agora só será usado nas palavras estrangeiras e em suas variações.

Outra mudança vem na extinção do acento nos vocábulos terminados em "êem" e "ôo(s)". Entre eles: abençôo, crêem, vêem, dôo, enjôo, perdôo etc. Agora, fica assim: abençoo, creem, veem, doo, enjoo, perdoo.

O acento também desaparecerá nos ditongos abertos "éi" e "ói", só que neste caso, somente nos vocábulos paroxítonos. Se você esqueceu o que é uma palavra paroxítona, não tem problema, é bem fácil. As palavras paroxítonas são aquelas que possuem a penúltima sílaba tônica, exemplo "açúcar, amável, fácil, fórum". Antes da reforma ortográfica, escrevíamos: estréia, geléia, heróico, idéia, jibóia e jóia. Agora, já era! Caiu o acento, fica assim: estreia, geleia, heroico, ideia, jiboia e joia. Fácil fácil!

As mudanças mais complexas ocorrreram no emprego do hífen. Usa-se o hífen quando o prefixo terminar com a mesma letra com que se inicia a outra palavra, como nestes casos: anti-ibérico, anti-inflamatório, anti-inflacionário, hiper-realista, inter-racional, inter-relação, inter-regional, micro-ondas, micro-ônibus. Quando o prefixo terminar com letra diferente daquela com que se inicia a outra palavra, não se empregará o hífen: aerospacial, autoafirmação, autoajuda, autoescola, contraindicado, extraescolar, extraoficial, infraestrutura e semiaberto. Quando o prefixo terminar com vogal e a outra palavra começar com "r" ou "s", teremos que dobrar essas letras, dessa forma: contrarrazões (contra + razões), antirracismo, antissocial e autorretrato.

2 comentários:

Histórias de garotas disse...

A ortografia brasileira é bem complicada de se aprender. Penso, nos nossos casos, que o que passamos a vida na escola pra aprender, agora teremos que "desaprender". A cada dia me envergonho mais com esse nosso país...

Dans mon île... ઇ‍ઉ disse...

vejo suas vantagens mas eu ainda gosto das particularidades de cada pais que fala portugues..por isso nao vejo com tanto animo tal tentativa de unificaçao