domingo, 8 de novembro de 2009

Vem aí, The Pursuit.


Jamie Cullum é um artista merecedor de superlativos mas bem mais complexo do que um simples conjunto de adjetivos poderia descrever. Se você o conhece "apenas" como um músico de jazz ou o seu jeito surpreendentemente criativo com covers (entre eles, High & Dry do Radiohead e " Frontin' do Pharrell) ,você está familiarizado apenas com a ponta do iceberg.
'The Pursuit "(A Perseguição),seu quinto álbum e primeiro disco solo novo em quatro anos, é resumido pelo título, tirado de romance clássico de Nancy Mitford, The Pursuit of Love. "Na vida,buscamos tudo. A vida é uma longa perseguição " diz Jamie.
Esse álbum é como uma perseguição - uma combinação do seu gosto musical eclético e o amor eterno ao Jazz e seus padrões atemporais. É um registo que mistura a herança do jazz com uma emocionante seleção de influências modernas. Descrevendo o seu som, ele vai de Cole Porter a Rihanna, a Aphex Twin na mesma frase. Jamie é capaz de oferecer surpresas constantes com um talento elástico o suficiente para evidenciar um “four-to-the-floor”(ritmo popularizado na música eletrônica) com um embreagante jazz tradicional na mesma canção. (na música ‘Music IsThrough’ especialmente)

A fabricação do 'The Pursuit "foi uma maratona não uma corrida. Jamie decidiu dá um tempo, após dois anos de turnê do "Catching Tales" e o rolo compressor de louvor que seguiu no álbum anterior de 2003 "Twentysomething", voltou-se para outros projetos. Tocou em bandas de outras pessoas,trabalhou com outros artistas, fez ‘dance music’ com o seu irmão e viajou. Também encontrou tempo para construir seu próprio estúdio, Terrified Studios, em Londres - " Eu o chamei assim porque eu sou um desconhecedor da tecnologia, normalmente fico apavorado quando estou lá dentro ", ri Jamie.

Fonte: jamiecullum.com
_____________________________
Jamie é extremamente talentoso em suas criações .E uma vez mais,ele nos dá prova disso. The Pursuit possui 12 faixas inéditas, resultado da sua ousadia e genialidade habitual. A cada faixa, uma surpresa e das melhores. Também não poderia deixar de faltar regravações ousadamente repaginadas,como Don’t Stop The Music (Rihanna). Jamie prostitui o jazz de maneira lúdica e transcendente. The Pursuit é adoravalmente caótico e transgressor,no melhor sentido que se possa imaginar! Certamente este é um dos melhores cds da sua carreira. Valeu a pena a espera!
Thank u Jamie!

6 comentários:

fake disse...

ele é bom só não tem admiração da velha guarda nhanhanha

Dans mon île... ઇ‍ઉ disse...

quem disse isso desconhece totalmente o assunto hehe

fake disse...

ora pergunte ao david se entendo ou não do assunto

sabrina disse...

Não conheço a obra do Jamie Cullum.
Vi algumas aparições em MTV! ^^

Dans mon île... ઇ‍ઉ disse...

recomendo Sabrina ;)

Diogo ! disse...

Sou fanazaço e ‘Music IsThrough’ é a que mais gostei ...

Diogo Santos